[ editar artigo]

Caso de TDAH. O EFT pode ajudar?

Caso de TDAH. O EFT pode ajudar?

 

 

PERGUNTA DE UMA DE NOSSAS TERAPEUTAS DO CENTRO GARY CRAIG.

RESPOSTAS DE SONIA N. EM NEGRITO OK?

Gostaria de saber se você, Sônia, ou algum dos colegas já teve experiência de tratar pacientes com TDAH.

Sim, já tive bastante experiencias de deficit de atenção. Com crianças, jovens e adultos. Gary e  o EFT e eu também, não usamos siglas para diagnosticar pessoas. A primeira observação que eu faço é: como esta pessoa chegou a este diagnóstico? Como sente esta sigla? faz sentido para ela? qual? teve um início? quando se deu conta e começou a sofrer com esta sigla, se é que sofre com ela?

Eu lembro que a Sônia já explicou um pouco sobre a falta de foco em que a pessoa  está (muitas vezes inconscientemente) como que presa em outras questões (emocionais, relacionais) e acaba procrastinando.

Sim, disse isso!

O déficit de atenção funciona do mesmo jeito? A pessoa não está inteira naquilo que se propõe a fazer?  Estou com um caso de um cara de 20 anos que teve um pai alcoólatra e a mãe que o trouxe para mim. Repetiu séries na escola e me parece estar bem perdido. Queria muito poder ajudá-lo.

Há níveis de falta de atenção, há níveis de distração. Há tipos de falta de atenção e tipos de distração. Há falta de interesse no que está sendo ensinado, porque a forma como está ensinado não se adequa ao estilo da pessoa, ao seu idioma pessoal, aos seus potenciais. E há bloqueios de aprendizado que são defesas contra traumas específicos. Um destes traumas pode ser cenas com o pai alcoolizado. É preciso, com cuidado, identificar tudo isso, na singularidade de ser do paciente. Só conhecendo ele melhor e investigando sua biografia, seu idioma pessoal, seu estilo, sua singularidade você vai poder concluir quais os significados e sentidos (coisas diferentes) desta falta de atenção. Que pode ser treinada por trabalhos neuro-psicológicos, mas se não forem identificados os sentidos e os significados para este paciente de suas distrações, desinteresses, devaneios, etc, não conseguiremos melhorar seu nível de realização de seu potencial verdadeiro. E isso requer tempo de terapia e muita atenção do terapeuta.

Eu ignorei o diagnóstico e foquei no que ele sente, mas ele não sabe muito o que sente e pra investigar melhor o estou levando pra relação com o pai, que foi marcante. E então começou a me falar que sentia muito a falta dele, porque não eram muito próximos.  

Este é o caminho, compreender sua biografia. E compreender seus bloqueios e defesas (no caso sintetizados com o diagnóstico TDAH) como  respostas pessoais ao que viveu, sendo ele esta singularidade que é.  Ressignificar (reframe) os significados que geraram essas respostas emocionais, as quais por sua vez construíram  o bloqueio de aprendizado ou deficit de atenção e memória, por exemplo. Esta ressignificação precisa fazer sentido para ele, isto é, ao mesmo tempo que libera memórias negativas  permite que desponte uma abertura para um futuro onde o aprendizado  possa acontecer e ter sentido porque o que o desviava do foco deixa de ser necessário. E aí usar o Tapping ou o Optimal. Será que ajudei?    


BOA NOTÍCIAESTÃO ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA O TREINAMENTO COMPLETO NO EFT OFICIAL. VEJA EM NOSSO SITE 

ACADEMIA CLINICA
Raissa Schiavo
Raissa Schiavo Seguir

Terapeuta EFT e Optimal. Atendimento online e presencial. Contato: 34 98401-7739

Ler matéria completa
Indicados para você