[ editar artigo]

Criança sem gesto: adulto sem escolha

Criança sem gesto: adulto sem escolha

Comentários de Sonia no final:

Muito importante que na criação, os cuidadores deem espaço para que a criança  se conheça, saiba do que gosta, para que compreenda a si mesma. 

Isso permite que quando atingir a adolescência possa saber qual é o seu jeito, qual é o seu estilo, o que a encanta, quais as suas características, como quer se realizar, como quer viver. 

Reconhecendo quais os valores lhe são fundamentais, ela pode criar o seu projeto de vida. Ela saberá o que quer realizar no futuro.  

Um paciente me procurou porque queria ser mais autoconfiante e seguro. Se queixou por se preocupar muito com a opinião dos outros.


Ele não foi criado por seus pais. Cresceu com a família paterna, com seus avós e tias. Seus pais não tinham condição familiar pra cria-lo e os entregaram aos avós. Esse menino cresceu na casa que não era dele. E a mãe sempre repetia que era um grande favor o que eles estavam fazendo por isso ele deveria ser muito bonzinho e obediente.

Assim ele cresceu.  Se moldando, abdicando de suas vontades e pedindo permissão pra tudo, até pra comer e tomar banho. As tias palpitavam na vida dele e cobravam por qualquer erro. 

Enfim, teve uma criação de muito limite e pouca liberdade, situação que prolongou inclusive durante a adolescência.

Hoje sofre muito por sempre se colocar de lado e optar pelo que é melhor para os outros. Ele esquece de si mesmo. Está sempre no lugar de ter que agradar. Não teve espaço e nem o direito de fazer bagunça, de errar, de ousar. Teve que ser muito comportado. Ele está deprimido e se sente bem perdido. Não sabe se gosta do trabalho.  

Vejo que ele não se conhece e que as suas relações familiares não contribuíram para o reconhecimento de si, já que houve excessiva invasão e determinação do seu modo de ser. 

Comentários Sonia

Educar é uma tarefa muito delicada. Limites são importantes, mas também espaço para o gesto da criança, para sua espontaneidade, para sua criatividade é importante. A criança ter direito ao querer precisa ser contemplado. Até os 14 anos é importante uma mão firme que dirija nos temas em que isto se faz necessário, mas é importante também que a criança sinta que esses limites não significam que ela tem que agradar o tempo todo, que não pode transgredir jamais, que não tem direitos de querer, de agir, de errar, de bagunçar, de ousar. Cada criança precisa ser encontrada na sua singularidade e a partir dela o equilíbrio entre limites e espaço de liberdade será definido de forma também singular.

Gostei bastante do texto, Raissa. Se for trabalhar com EFT pode achar os eventos específicos em que ele próprio se cobrava agradar quem o acolheu e cuidava dele. 

Crianças que são criadas na casa dos avós ficam bastante hesitantes em ser espontâneas muitas vezes por temor mesmo de abandono e desamparo. É como uma síndrome emocional de não ter um lugar, ocupar um lugar que não é seu, e assim não ter direitos de ser si mesmas.

Isso é muito comum em nosso país. Lido com centenas de casos assim. Uma parte da cobrança vem da própria criança e muitas vezes outra parte vem dos adultos. Não permitem o que Winnicott coloca como muito importante: deixar que a criança viva um ciclo completo em sua atividade. Os adultos tendem a interromper o ciclo da criança, como deve ter acontecido no caso exposto acima. Ou seja, o ciclo completo implica: uma fase de hesitação, onde a criança se aproxima de uma atividade, pesquisa, vai devagarinho se familiarizando. Uma segunda fase, de apropriação do objeto, da atividade, onde se realiza a brincadeira, e uma terceira fase de desistência, cansaço, esgotamento da atividade ou brincadeira e seu abandono. Muitas vezes o adulto chama pra comer, chama pra sair, chama pra dormir e corta este ciclo sem que ele termine. E a criança, ao brincar, ao ser ativa com algo ou alguém, ela está também se curando, fazendo uma auto terapia e se desenvolvendo como pessoa,  mas para isso precisa do ciclo completo. E o adulto interrompendo, conforme suas regras e sua impaciência, acaba travando esta necessidade intrínseca do ser humano de completar  um ciclo. Se pensarmos numa sessão terapêutica ela também precisa destes três momentos, Mas não vou entrar nisso agora.

Com certeza este rapaz está estancado em alguma fase do desenvolvimento onde seu livre fluxo de atividade foi interrompido, onde sua liberdade foi excessivamente tolhida.

É na sessão terapêutica que ele pode recuperar esta liberdade. A sessão, se respeitados esses três momentos, vai restaurando nele o conhecimento de si, seu ser como pessoa, sua liberdade. Ele precisará tomar consciência do momento em que estancou e compreender que sua resposta a rigidez dos adultos e suas cobranças e ameaças foi o bloqueio de seu direito a escolha, de seu direito a querer. E devagarinho ele vai se curando desta auto repressão que se instaura com o medo de quebrar expectativas e perder o amor e o cuidado. 

TODAS AS INFORMAÇÕES SOBRE OS CONTEÚDOS E PREÇO DO TREINAMENTO COMPLETO NO  EFT OFICIAL ESTÃO AQUI. 

 

ACADEMIA CLINICA
Raissa Schiavo
Raissa Schiavo Seguir

Terapeuta EFT e Optimal. Atendimento online e presencial. Contato: 34 98401-7739

Ler conteúdo completo
Indicados para você