[ editar artigo]

"O que eles vão pensar de mim?" A tirania da imagem.


Como todos os anos, uma ou duas vezes, vou para Sea Ranch, na California,  trabalhar com Gary Craig. Sempre novas atualizações do EFT Oficial ocorrem e do trabalho em conjunto surgem novas possibilidades e novas formas de aplicar o EFT. E sempre nossos trabalhos começam com leituras, meditações e conversas espiritualizadas mas que não são nada religiosas.  Aprofundamos dimensões de nossa  postura filosófica sobre a vida, as emoções, a realidade, as ilusões que criamos sobre tudo. E juntos desenvolvemos uma  prática espiritual que ao longo destes 20 anos gerou uma grande transformação de nossa forma usual de ver o mundo e de viver. Foi da disciplina desta prática que nasceu o Optimal EFT, para complementar e tornar mais eficiente o EFT Tapping. Para praticar o EFT Oficial você não precisa ter uma prática espiritual paralela.  Mas acho importante você saber que ele nasceu e cresce sempre a partir desta pratica espiritual que nada tem de religiosa e nem se baseia em crenças.  E que se o EFT Oficial (Tapping ou Optimal) consegue produzir transformações nas pessoas e nos seus destinos é porque ele foi concebido e desenvolvido dentro de uma visão espiritual. Onde somos, enquanto terapeutas, como que assistentes de uma força amorosa que está em nós, em nossos pacientes, mas que nos transcende. É na possibilidade do ser humano ser transcendência (Safra, em Hermenêutica na Situação Clínica) que está seu potencial de descontinuar-se, de transformar-se, de sair de si em direção ao outro, de Amar. O que significa curar-se. Portanto, a clínica do EFT Oficial jamais se dá apenas num plano intelectual. É o ser inteiro do paciente e do terapeuta que estão envolvidos no processo de transformação, onde ambos se transformam em cada encontro verdadeiro.

Vou dar um exemplo de como a noção básica de unidade que supera a separação entre eu e o outro, que os sentidos me apontam, é fundamental para alguns dos adoecimentos do nosso tempo serem superados.

No mundo contemporâneo há uma hiper valorização da imagem de si. Nossa preocupação básica passou a ser: o que os outros pensam de nós? Que imagem têm de nós? Passa-se a vida em busca da construção de uma imagem, como se isso fosse a salvação absoluta. A construção da imagem passa a ser o critério para tudo que se busca e todas as ansiedades passam pelo medo de depreciação desta imagem. As redes sociais multiplicaram exponencialmente este temor da imagem e esta busca por uma imagem positiva. Há mesmo uma crença de que se minha imagem estiver apropriada e excelente, vou ser aceito, amado e portanto vou me amar, me sentir seguro em relação ao presente, ao passado e ao futuro. Muitos constrangimentos, vergonhas, medos de falar em público  causam verdadeiras crises de pânico pelo terror de que os outros construam uma imagem depreciada de mim mesmo. 

Hoje atendi uma paciente entre muitas que tenho que se atormentam pelo medo de uma imagem desfavorável, a ponto de não saber se o pânico se complica pelo medo da exposição ou se origina no medo de exposição. Nela, como em muitas pacientes, há como uma escravidão à imagem que tentamos desconstruir. E hoje foi interessante porque o Terapeuta Interior me inspirou para comentar sobre a experiência da unidade, ou seja da comunhão entre todos. E logo ficou claro para mim porque essa luz tinha me vindo. Ora, a base deste império da imagem está  na ilusão da separação, ou seja na ideia que nos foi inculcada e na qual crescemos de que cada um é um e o outro é o outro. Julgamentos  são corolários da imagem que se constrói e  fazem sentido se nos concebemos como ilhas separadas de outras ilhas e  olhamos uns para os outros de fora, do exterior.

Fui desenvolvendo com a paciente esta narrativa sobre a realidade da Unidade, de sermos todos partes de um todo que é único. Diferente de sermos unidos é sermos Um todo único, onde este limite que nos separa um do outro não existe. Esta Unidade é a verdadeira realidade  que se origina do Amor e a ele se destina. E nesta dimensão, que é a única real,não faz sentido o medo do ataque. Porque não faz sentido a base do ataque e do medo do ataque que se baseia na crença que somos ilhas separadas que criam imagens umas das outras, julgando de fora umas as outras.

Julgar é sempre separar, olhar do exterior, perder a comunhão, perder a unidade que é a única realidade verdadeira e está alem do visível. Esta cliente que comentei acima tem uma abertura espiritual e fez muito sentido para ela nossa conversa. Como num click, quando experienciou esta possibilidade de unidade de uma forma profunda (o Terapeuta Interior nos guiando e, deixando seu ego temeroso encolher), se sentiu liberada para estar perto das pessoas, o que antes havia sido sempre  aflitivo e constrangedor.  A ponto de sucumbir  ao pânico muitas vezes quando se sentia rodeada de gente. Dissolvendo a ideia da ilha auto-contida e separada, como que a servidão ao conceito que outro tinha  sobre si se desfez. Esta  experiência da unidade é facilitada pela experiência do Terapeuta Interior. Ele é ao mesmo tempo uma unidade entre paciente e terapeuta e entre nós e o Amor maior, quer o chamem de Deus, ou algo diferente. É uma ponte que nos liga ao Maior que nós. A prática, a disciplina, a dedicação são importantes para cada vez mais podermos usar este recurso nosso, que é nosso e que ao mesmo tempo nos transcende.

Comentem! Participem da Academia Clinica, com perguntas e textos, contem suas experiências. Venham para as duplas todos que já estão nos cursos e para os cursos os que querem aprender a se trabalhar e ajudar o próximo.


TODAS AS INFORMAÇÕES SOBRE OS CONTEÚDOS E PREÇOS DOS CURSOS DO  EFT OFICIAL ESTÃO AQUI. 

ACADEMIA CLINICA
Sonia Novinsky
Sonia Novinsky Seguir

Psicoterapeuta . Diretora do Centro Gary Craig de Treinamento em EFT Oficial no Brasil. Atendimento on line e presencial. Supervisão em grupo para EFT Oficial ( tapping e Optimal). Práticas grupais de EFT. Contatos pelo whats: 11999941415

Ler matéria completa
Indicados para você