[ editar artigo]

Quando orgasmo só acontece na dor (pergunta de um aluno sobre caso clínico)

Quando orgasmo só acontece na dor
(pergunta de um aluno sobre caso clínico)

 

Um aluno me escreve: A esposa de um amigo me procurou e pediu para que eu fizesse uma tentativa com a filha dela que tem 22 anos e sofre de compulsão sexual e só consegue atingir orgasmo se apanhar. Como ela tem compulsão então vive apanhando demais e já está ficando incomodada. Eu estou pensando em pesquisar os eventos específicos que a levaram a isso e peço a você que me dê uma luz. Quais seriam os eventos que poderiam levar alguém a agir como ela está agindo? Se você me der um norte vai facilitar muito a minha abordagem. Muito obrigado.

RESPOSTA SONIA:  Veja, aqui se trata de uma situação delicada. Eu posso lhe dar algumas idéias que vem de algumas experiências clínicas, mas precisamos falar do atendimento desta menina. A mãe se abrir com você com um assunto tão delicado já me pareceu muito estranho. Me coloquei no lugar desta menina e me dei conta que se eu tivesse esta questão, de me incomodar que estivesse precisando apanhar para chegar a um orgasmo, acho que poderia até procurar um terapeuta, mas será que contaria para minha mãe? Como a mãe soube disso? Têm uma relação tão íntima e aberta? Por que não é a menina que está procurando ajuda? O que eu faria neste caso não é já pensar no tratamento, mas dizer à mãe que este tema é muito delicado e íntimo para ser falado fora de um espaço terapêutico. Se a filha sentir que está com um problema, que precisa de ajuda, o mais indicado seria  a filha procurar ajuda. Com 22 anos já é possível ligar para um terapeuta e pedir ajuda. Não sei se seria você, pois você é amigo dos pais e isso já o coloca numa situação suspeita, eu acho. Se eu fosse você eu diria à mãe que pode indicar alguém para atender sua filha, mas devido ao tema ser sexual e bastante íntimo não há condições de um amigo dos pais atende-la. Acho que a menina não vai se abrir com você devido a você ser amigo dos pais e a mãe ter te indicado. E acho que seria invasivo para ela ser tão transparente aos pais.

Fiquei mesmo bastante surpresa. A mãe fala disso como se fosse um deficit de atenção ou uma enxaqueca. Coisas assim banais e das quais não se precisa ter vergonha. Mas é bastante constrangedor abrir para os pais que se precisa apanhar para gozar, não acha? E a mãe falar para um amigo dela esta condição tão intima da filha, também me parece constrangedor. Você deve ter ficado constrangido. Eu ficaria, mais ainda sendo um homem.

Num nível mais conceitual o que eu tenho visto sobre este tipo de masoquismo, porque isso é uma forma de masoquismo, de encontrar prazer a partir da dor e precisar disso, depender disso, acontece quando o nível de tensão da mulher (ou do homem) é muito grande. Sabemos que o prazer está num limiar onde a dor pode comparecer de uma forma branda. Porque sabemos que a dor favorece um relaxamento grande e há um prazer neste relaxamento.

Se a dor é oriunda de umas palmadas, de uns tapas, ela nos fala que este é um momento de entrega, em que a luta cessa e o relaxamento  vem de aceitar a impotência, o ser dominado e poder ter um pico de tensão pela dor ao qual se segue um total abandono de si no orgasmo.

Mulheres ou homens muito competentes, auto exigentes, líderes de algum ambiente, gestores de equipes, dominadores implacáveis podem apresentar esta necessidade de se sentir numa situação oposta para relaxar e poder gozar. Mas em hipótese alguma isso é uma regra. Podem tanto terem relações saudáveis onde a energia sexual mais agressiva pode passar do homem para a mulher e vice versa, ou podem também caírem numa situação que reforça sua tendência ao domínio.

Mas eu já tive casos clínicos em que a mulher ou o homem  perfeccionista, controlador, eficiente, precisava se sentir agredido para poder ter orgasmo satisfatório. Esta atração pela humilhação ou dor é uma forma de sentir seu corpo, voltar a ele, pois essas pessoas usam demais seu poder apenas mental. Como encarnam sua corporeidade e se sentem vivas, tendo uma experiência total. 

Eu acho bastante adoecida esta forma de buscar o prazer sexual, tanto que ela tende a ser obsessiva, só se encontra o orgasmo pela agressão humilhante. E só se relaxa assim. 

Esta menina precisa urgentemente de ajuda, embora não ache que seja sua a melhor. Algo me fala (e isto é puramente intuição) de um ambiente familiar tóxico, tenso, conflituoso, onde há alguma luta por poder e controle. A cura pode vir se pudermos deixar  esta menina livre para contar sua história familiar a um terapeuta totalmente distante do núcleo familiar para que este terapeuta possa, aos poucos,ganhar confiança da paciente e chegar a um tema tão delicado e íntimo. 

Decidi colocar estas idéias porque podem talvez ajudar você a conversar com esta mãe e ajudar também com o artigo  outros terapeutas a poderem também trabalharem com pessoas que apresentem este sério adoecimento. Há alguma semelhança, me parece,  com pessoas que se ferem, se machucam, se cortam para se sentirem em seus corpos e obterem algum relaxamento. Há muita dor na alma que busca alívio na dor física em suma. Isso precisa ser trazido à tona. 

Nota informativa  recebida do aluno depois do artigo escrito: dois dados me confirmam que talvez o significado da questão vai na direção apontada: esta menina desde os 15 anos já se cortava e chegou a cortar os pulsos levemente na escola. E outro dado: ela é super inteligente, se exige muito, super competente, entrou em Medicina e Engenharia. Acho que estamos no caminho da compreensão mais conceitual. Mas o atendimento é outra coisa. Totalmente depende do vinculo, da confiança, de descobrir quem é esta menina e como constrói esta auto pressão tão grande, onde não se sentiu amparada para poder relaxar.


BOA NOTÍCIAESTÃO ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA O TREINAMENTO COMPLETO NO EFT OFICIAL. VEJA EM NOSSO SITE 
 

ACADEMIA CLINICA
Sonia Novinsky
Sonia Novinsky Seguir

Psicoterapeuta . Diretora do Centro Gary Craig de Treinamento em EFT Oficial no Brasil. Atendimento on line e presencial. Supervisão em grupo para EFT Oficial ( tapping e Optimal). Práticas grupais de EFT. Contatos pelo whats: 11999941415

Ler matéria completa
Indicados para você