[ editar artigo]

Três atributos essenciais do encontro clínico

Três atributos essenciais do encontro clínico

Queridos,

Queria hoje falar um pouco sobre nossos atributos como clínicos. Isso vale para o EFT mas também para qualquer método clínico que venhamos a adotar.

O paciente nos chega sempre num estado crítico, já tentou muita coisa e resolve procurar terapia. Ele vem sofrido, com a esperança de não sentir mais este incômodo que ele não sabe exatamente o que é, por que sente assim, por que não caminha para sair disso.

Muitos já procuraram outras terapias antes e nos dizem ao chegar: falamos tanto nós dois, eu e meu terapeuta anterior, eu até compreendi algumas coisas,  mas nada mudou. Por que?

A pessoa chega com tantas ideias sobre si, pensamentos sobre si, crenças e conceitos sobre si e aquele emaranhado de entendimentos não levou a nada, não mudou nada. Por que? Na constelação viu, por exemplo, que estava enganchado num antepassado, na terapia via que sabotava a si mesmo, na regressão via que tinha esfaqueado seu pai no século passado, etc.

Nosso primeiro trabalho clínico é tentar desconstruir, dissolver, apagar, esvaziar, para que nós terapeutas e o paciente possamos ficar no escuro, ficar no vazio, ficar no não sei, mas sem perder a fé, a aposta de que há um caminho. Ou seja, nos abrirmos para escavações de terrenos internos ainda virgens, porque fora do entendimento, dos conceitos, das ideias. Gilberto Safra define fé: crucificação do entendimento, desistir de saber, eu caminho no escuro mas caminho.(aula dia 10-3-19).

Quando isso acontece, paciente e terapeuta vão se abrindo para o aqui e  agora da sessão e assim se desmontam todas as defesas mentais que abarrotam o intelecto do paciente e, muitas vezes, do terapeuta. E, desta forma, Gilberto ainda nos ensina que confiamos que existe uma verdade na qual podemos chegar na sessão, que é importante e boa (aula dia 10-3-19).

Gilberto tem um artigo que eu posso passar para quem se interessar e que se chama Disponibilidades para a realidade psíquica não sensorial: fé esperança e caritas.* Neste artigo há estas três qualidades que presidem uma clínica ética. A fé, que falei acima, a esperança, que é o desistir da nossa vontade de que o paciente seja isso ou aquilo, faça isso ou aquilo e que aos poucos vai ajudando o paciente a desmontar uma vontade que  possa ter a priori.

 E a qualidade da caritas, que para mim é generosidade, que é a doação nossa como terapeutas, enquanto oferta, onde não demandamos reconhecimento ou gratidão. Damos lugar ao paciente para que ele receba nossa oferta.

Estas três qualidades nos encaminham para a verdade do encontro que será vivida como transformação do ser do paciente e do terapeuta. Depois de cada sessão nós, como terapeutas, não somos mais os mesmos e os pacientes tampouco, se realmente pudermos percorrer o caminho carregando em nós estas três disponibilidades que nos permitem o acesso a verdade do encontro. Não se trata de uma mudança de pensamentos ou ideias, mas de uma experiência que nos transforma em todos os níveis de nossa pessoalidade, de uma tal forma que nossa singularidade se manifesta sem perdermos a unidade com todos seres vivos e a natureza.

*Este artigo foi publicado na revista Ide - vol 36 n 56 São Paulo jun 2013

 

ESTÃO ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA TODOS OS CURSOS DO EFT OFICIAL. VEJA EM NOSSO SITE 

 

ACADEMIA CLINICA
Sonia Novinsky
Sonia Novinsky Seguir

Psicoterapeuta . Diretora do Centro Gary Craig de Treinamento em EFT Oficial no Brasil. Atendimento on line e presencial. Supervisão em grupo para EFT Oficial ( tapping e Optimal). Práticas grupais de EFT. Contatos pelo whats: 11999941415

Ler matéria completa
Indicados para você