[ editar artigo]

Uma experiência com o Terapeuta Interior

Uma experiência com o Terapeuta 
Interior

Atendi um homem, na faixa de 40 anos, que passou por uma experiência traumática na vida adulta e me procurou para ajudar na dissolução desse trauma. Quando trabalhávamos uma das cenas do evento, em que um outro homem lhe chamou de alguns nomes em tom de xingamento, resolvi usar o Optimal EFT. 

Neste momento, ao me concentrar junto com o meu cliente, tive por 2 vezes a nítida sensação de que estava saindo do meu corpo e precisei dizer a mim mesma: "Anna Carolina, volta!". Embora a sensação fosse muito agradável, eu deveria voltar para poder acompanhar meu cliente. 

Quando concluímos a rodada do Optimal EFT, ele me disse especialmente uma daquelas palavras mencionadas a ele na cena era muito pesada pra ele, pois remetia a outras questões de sua vida. Infelizmente na sessão já não tínhamos mais tempo hábil para conversar sobre este novo assunto e ficou para uma próxima sessão.

Foi interessante observar o contraste: enquanto eu, como terapeuta ,estava totalmente leve, para ele foi algo muito pesado por remeter a outros eventos do passados não resolvidos.

Espero que algum dia eu possa ter esta sensação novamente em uma autoaplicação, onde eu tenha a liberdade de poder me deixar levar por esta experiência tão prazerosa. 

Comentário Sonia : Obrigada, Anna, por contar sua experiência como terapeuta.  Acontece mesmo que ao acessarmos o Terapeuta Interior às vezes entramos num canal nosso com ele e vem esta leveza e esta paz. E às vezes o paciente fica um pouco distante desta iluminação.  Precisamos estar num lugar muito amoroso com o paciente para mantermos o grounding na questão que estamos trabalhando com nosso cliente e para que ele também se mantenha. Gary sempre sugere que quando o cliente traz uma situação traumática atual, devemos atentar para duas coisas:

1. quais as respostas emocionais defensivas que o cliente está tendo frente a esta situação traumática atual.

2. qual foi o evento específico da infância em que o cliente teve estas respostas emocionais defensivas, todas ou algumas delas?

E, neste sentido, sempre trabalhar o evento infantil mais precoce em que estas respostas emocionais apareceram pela primeira vez. Pelo menos tentar não se ater ao evento traumático atual. Porque acontece isso: ao chamar o Terapeuta Interior, o evento traumático raiz acabará pedindo para ser posto na mesa para ser trabalhado e a sessão já está acabando. O que deixa o cliente pesado, porque não se vai resolver as respostas emocionais atuais, deixando de lidar com as respostas emocionais do passado. Foi isso que aconteceu: você, acessando o Terapeuta Interior, se sentiu leve mas o paciente ficou de certa forma estancado e pesado porque o evento raiz surgiu e não pôde ser trabalhado pela falta de tempo. Sugiro que na próxima sessão você vá direto para este evento raiz, articulando com o evento atual, através das respostas emocionais similares. 

Obrigada por ter trazido este contraste entre a leveza sua e o peso que ele sentiu. Assim pude mostrar este ponto importante para que os dois possam se sentir leves e em paz ao final da sessão. Sua leveza mostra que você está super bem preparada para o Optimal EFT, porque o preparo do terapeuta é essencial. E foi essa possibilidade que abriu eventos mais antigos pra ele trabalhar com você na próxima sessão. Foi bastante produtivo também.


TODAS AS INFORMAÇÕES SOBRE OS CONTEÚDOS E PREÇOS DOS CURSOS DO  EFT OFICIAL ESTÃO AQUI. 

ACADEMIA CLINICA
Anna Carolina Ferreira da Rocha
Anna Carolina Ferreira da Rocha Seguir

Terapeuta de EFT e Optimal EFT Brasília - DF Sessões presenciais e online (61)99256-8050

Ler matéria completa
Indicados para você